O LIVRO QUE NINGUÉM CONSEGUE LER ...O MANUSCRITO VOYNICH

Manuscrito Voynich é um misterioso livro ilustrado com um conteúdo incompreensível. 

Imagina-se que tenha sido escrito há aproximadamente 600 anos por um autor desconhecido que se utilizou de um sistema de escrita não-identificado e uma linguagem ininteligível. 

É conhecido como "o livro que ninguém consegue ler".

Ao longo de sua existência registrada, o manuscrito Voynich tem sido objeto de intenso estudo por parte de muitos criptógrafos amadores e profissionais, incluindo alguns dos maiores decifradores norte-americanos e britânicos ao tempo da Segunda Guerra Mundial (todos os quais falharam em decifrar uma única palavra). 

Esta sucessão de falhas transformou o manuscrito Voynich num tema famoso da história da criptografia, mas também contribuiu para lhe atribuir a teoria de ser simplesmente um embuste muito bem tramado – uma sequência arbitrária de símbolos.

A teoria hoje mais aceita é de que o manuscrito tenha sido criado como arte no século XVI como uma fraude. 

O fraudador teria sido o mago, astrólogo e falsário inglês Edward Kelley com ajuda do filósofo John Dee para enganar Rodolfo II da Germânia (do Sacro Império Romano-Germânico).

Foi datado por carbono como se fosse do começo do século 15 (1400). 

Segundo a datação, Kelley não o poderia ter escrito pois nasceu meio século depois. 

Vendo torres que se assemelham a uma cidade há uma teoria que diz que foi escrito no norte da Itália. O livro ganhou o nome do livreiro polaco-estadunidense Wilfrid M. Voynich, que o comprou em 1912. 

A partir de 2005, o manuscrito Voynich passou a ser o item MS 408 na Beinecke Rare Book and Manuscript Library da Universidade de Yale. 

A primeira edição fac-símile foi publicada em 2005 (Le Code Voynich), com uma curta apresentação em francês do editor, Jean-Claude Gawsewitch, ISBN 2350130223.


Nestes três páginas manuscritas que parecem objetos astronômicos.
O volume, escrito em pergaminho de vitelo, é relativamente pequeno: 16 cm de largura, 22 de altura, 4 de espessura. São 122 folhas, num total de 204 páginas. Estudos consideram que o original teria 272 páginas em 17 conjuntos de 16 páginas cada, outros falam em 116 folhas originais, tendo 1 se perdido.

Percebe-se, pelos espaços ao final direito das linhas, que o texto é escrito da esquerda para a direita, sem pontuação. Análise grafológica mostra uma boa fluência. No total são cerca de 170 mil caracteres, 20 a 30 letras se repetem, umas 12 aparecem só 1 ou 2 vezes. Os espaços indicam haver 35 mil palavras; os caracteres têm boa distribuição quantitativa e de posição, alguns podem se repetir (2 e 3 vezes), outros não, alguns só aparecem no início de palavras, outros só no fim; análises estatísticas (análise de frequência de letras) dão ideia de uma língua natural, europeia, algo como inglês ou línguas românicas.

Conforme o linguista Jacques Guy, a aparente estrutura do texto indica semelhanças com línguas da Ásia do Sul e Central, sendo talvez uma Língua tonal, algo como línguas Sino-tibetanas, Austro-asiáticas ou Tai.

Conforme datação por Carbono 14 feita pela Universidade do Arizona, o pergaminho data do início do século XV

Conforme a análise do “Mc.Crone Research Institut” a tinta é da mesma época, embora as cores dos desenhos sejam posteriores.

Nas páginas finais aparecem anotações mais recentes feitas em letras latinas nas formas de alfabetos europeus do século XV.

http://youtu.be/eGmby24LLuk

O LIVRO QUE NINGUÉM CONSEGUE LER ...O MANUSCRITO VOYNICH

Manuscrito Voynich


FAZ UM ANO QUE O JORNAL DIÁRIO DE NOTÍCIAS / CIÊNCIA PUBLICITOU ESTÁ NOTÍCIA FANTÁSTICA MAS TUDO FICOU ABAFADO

A NASA colocou o vídeo no You Tube e já tem mais de 200 mil visualizações. Os astronautas Reid Wiseman e Alexander Gerst estavam em plena missão na Estação Espacial Internacional (ISS, sigla em inglês) quando se vê algo que aparece ao fundo da imagem e que está a ser defendido como sendo um ovni.

NASA remeteu-se ao silêncio, não comentando esta observação que está a gerar furor na internet.

Veja no vídeo a primeira imagem (ao 1.25 minuto) na qual nada é visível e compare depois com a segunda imagem (ao 1.48), na qual se vê o alegado ovni.

VÊ O FILME EM http://youtu.be/kVf03qDjE0g

Cientistas confirmam avistamento de OVNI no Chile

Aviso: seres humanos, CHEGOU A HORA! 

Em breve, a presença de OVNIs espalhados pelo céu do Planeta Azul não será mais uma novidade para ninguém.


Todos os dias são registrados avistamentos ou algum tipo de experiência com OVNIs — principalmente por pilotos de aviões e operadores de radar —, mas é raro algum caso desses gerar polêmica na mídia — até mesmo porque muitas imagens são “fabricadas”,ou seja falsas.

Contudo, o que aconteceu no Chile extrapolou as expectativas:

 Em abril de 2013, 35 profissionais da mina Collahuasi — situada a 4.300 metros acima do nível do mar, na região de Tarapacá — não só viram, mas também fotografaram um disco prateado que se manteve visível por aproximadamente duas horas, a mais ou menos 600 metros de altitude, em um dia sem nenhuma nuvem no céu. 

Confira o vídeo de uma reportagem chilena sobre o fato:



Investigações

As imagens foram parar nas mãos do Centro de Estudos de Fenômenos Aéreos Anômalos (CEFAA), vinculado à direção geral de Aeronáutica Civil do Chile. 

Após um ano de análise intensiva, com cientistas de vários lugares e com altíssimo nível de entendimento no assunto, o pronunciamento oficial do diretor do CEFAA, Efe Ricardo Bermúdez, surpreendeu muita gente: “Realmente era um Objeto Voador Não Identificado (OVNI), pois não se parece com nada conhecido e também não se trata de uma fraude“.

Bermúdez diz mais: “Nós não temos segredos! Ninguém é o dono da verdade, por isso optamos por compartilhar a informação que temos, e não ocultá-la. Trabalhamos abertamente com aqueles que já avistaram objetos voadores, que geralmente são pilotos de avião ou operadores de radar, mas também com pessoas comuns, que costumam filmá-los ou fotografá-los”.



Com isso, o Chile passou a ter mais referência ainda no quesito “caçadores de OVNIs”, visto que 3% dos avistamentos — isso desde 1998 — foram reconhecidos oficialmente.



FOTO DE OVNI TIRADA POR ASTRONAUTA DA NASA